Este post é sobre atos aleatórios de bondade em Bolonha, mas desta vez, não é sobre os nossos atos, mas sim sobre a beleza da ação solitária de um homem que restaurou a nossa fé na humanidade!

A vida funciona de formas misteriosas, como se costuma dizer. E aquilo que vivemos em Bolonha ensinou-nos uma lição fundamental. Não é difícil pensar em formas de tornar o dia de alguém mais feliz se simplesmente olhares à tua volta com atenção. Um pouco por toda a parte, verás pessoas que precisam de um sorriso. O nosso objetivo com os atos aleatórios de bondade é precisamente esse: tornar o dia de alguém melhor, uma memória inesperada e positiva. Restaurar a fé na humanidade, quem sabe.

 

ATOS ALEATÓRIOS DE BONDADE EM BOLONHA

Enquanto passeávamos deliciados pelas belíssimas ruas de Bolonha (após 4 longas horas de viagem a partir da Eslovénia) como seria de esperar estávamos entusiasmados com esta nova cidade, mas também cansados e esfomeados!

Por sermos super low-cost e extremamente poupados, procuramos sempre encontrar formas de poupar dinheiro. Assim, havíamos comprado umas sandes deliciosas numa loja de Liubliana antes da nossa partida. Desta forma, poupávamos dinheiro e tempo, podendo comer enquanto percorríamos a cidade vermelha. Pelo caminho, deparámos-nos com um jovem sem-abrigo, sentado no chão, rodeado dos seus pertences e por cães vadios. Ele parecia ter poucos bens, mas de alguma forma estava tranquilo e feliz. E em parte o motivo parecia ser a companhia daqueles carinhosos animais que o tratavam como um amigo de longa data.

Foi evidente para nós, naquele momento, que tínhamos que partilhar a nossa comida com ele, e por isso oferecemos ao jovem o nosso almoço antes de prosseguirmos caminho pelas ruelas estreitas e alaranjadas que nos rodeavam.

Minutos mais tarde, quando por coincidência voltámos ao mesmo local (ok, para dizer a verdade estávamos perdidos), vimos algo que deixará para sempre uma sensação calorosa nos nossos corações: aquele jovem sem-abrigo estava a partilhar a refeição com os seus companheiros de rua, os simpáticos e dóceis cães que o mantinham acompanhado e feliz.

Este post é sobre atos aleatórios de bondade em Bolonha, mas desta vez, não é sobre os nossos atos, mas sim sobre a beleza da ação deste senhor que restaurou a nossa fé na humanidade.


Parece óbvio que bondade gera mais bondade! Quando foi a última vez que viste um ato aleatório de bondade? Deixa a tua opinião nos comentários abaixo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here